domingo, 17 de abril de 2011

Foz do Iguaçu (Dia 3)



Essa aqui foi impagável...


Bom dia, garotada de Foz! Hoje é dia de compras...hehe! Vamos fazer um passeio ao Paraguai. Dica número1: esqueça tudo o que te disserem...hahhaah! O terrorismo já começa na internet. Os viajantes dizem para se tomar muito cuidado, sobretudo com eletrônicos. Diz a lenda que se deve levar exatamente aquilo que o vendedor retirou da vitrine, nunca deixá-lo sair de vista para trocar o produto por um chinalá. Será?

Ao ver a chamada 'Ponte da Amizade' e ouvir dos demais que permanece inalterada desde os anos 70, confesso que comecei a dar ouvidos aos boatos. Mochileiros uma fila de carros, ônibus, vans e motoboys; ia piorar e muito quando fôssemos embora. Mas é claro, não sabíamos disso.

O Paraguai - ou pelo menos o centro, onde ficam as lojas mais disputadas - parece um canto abandonado do mundo. Não sei se foi má impressão ou se havia chovido no dia anterior. Cheguei até a perguntar a razão de tanta lama nas vias, não se via o piche. 'Essa gente é porca mesmo!', disse o guia. No mais, muita publicidade, banners e faixas para todo lado.

Em pleno centro, camelôs, lojas, bancas e pessoas, todos amontoados, disputando por espaço entre corredeiras de água turva. Visão muito mais aterradoraque a 25. Não se consegue andar 2 metros sem ouvir as palavras 'meia' ou 'cueca'...rs... Os camelôs te abordam enquanto os carros tentam cruzar as vias com a sinalização muito precária.

Por sugestão do guia, fomos ao shopping Americana. Logo que se entra, de longe podemos ver 'Sony', 'Panasonic' e 'Nike'. Minha meta era comprar um maldito Iphone 4, que em São Paulo está mais disputado que emprego. Lindo de se ver, porque todo mundo pedia $ 700,00, só que não contavam que o telefone vinha bloqueado. Desbloqueado, chegava a custar $ 1.200,00.

Fui à Nike, comprei uma jaqueta (aprox. $ 50) e um tennis (por volta de $ 200). Minha irmã e prima queriam ver as máquinas fotográficas e maquiagem enquanto minha mãe procurava um secador e depilador. Acabamos nos irritando, pois cada loja falava mal da outra e os preços variavam demais.

Nisso, fomos à Monaliza, famosa na internet pelos preços mais abusivos. Esse shopping sim diferia de toda aquela atmosfera de Santa Efigênia. Não deixava nada a desejar para as mais famosas lojas de departamentos americanas. Primeiro andar cosméticos, seguro piso eletrônicos, terceiro piso chocolates e um restaurante (só esse), quarto piso roupas de grife, sexto piso prataria porcelana e Le Creuset ($200 uma caçarola grande), sétimo piso acessórios de esporte como tacos de golfe, oitavo piso (FINALMENTE), o banheiro. Agora, magina o tio, subindo isso tudo com o joelho estourado! Maginou? rs...pois é!

O piso mais alegrinho era o de eletrônicos. Tivemos um vendedor à nossa disposição, já que compramos vários ítens. Além do telefone, levei um barbeador da Philips (por volta de $ 130) para usar em baixo d'água, no banho (Showww!). Quanto ao Iphone, não saiu por menos de $ 1.000,00. Eu, que não tinha nenhum conhecido para ir até Miami por mim, que já havia insistindo com a FDP da Vivo, achei super vantajoso.

Há outras lojas como a 'Casa China' e a 'Nave'. Ambas estão subindo os preços e dão preferência para papel moeda. Outra opção é a 'Petisquera', cujo forte são as bebidas. Aliás, comprar bebida vale muitíssimo a pena aqui. Para você ter uma idéia, um licor Amareto Disaronno italiano (R$ 98 em São Paulo), aqui não passa de R$ 30.

Meninas, não venham em busca de maquiagem da MAC. Não procurem por Paul Mitchel. Essas marcas não existem aqui. Maguiagem, o forte é Lancôme. Shampoo da Kerastase para todo lado. Perfumes femininos, de todas as marcas. Perfumes masculinos, destaque para o Pólo, Fahrenheit...os de sempre.

Minha prima levou uma máquina fotográfica da Sony ($ 400), 16 Megapixels com Photoshop na própria máquina, além de recurso para foto panorânica, 3D e retirar manchas no rosto. Máquina fotográfica que te deixa com pele de bebê? Sim, já tem...hehe!

Terminadas as compritchas, voltamos ao hotel. Jantamos na churrascaria Búfalo Branco, do ladinho do Del Rey. A comida estava fantástica, principalmente o suco de abacaxi com hortelã. O melhor que tomei na vida.

Única coisa que é vergonhosa em Foz são os doces. Da padarias, confeitarias, hotéis, restaurantes e afins, não há um só lugar que se preze. Mousses industrializadas. Muito pudim com gelatina...vou falar mais para frente.

Amanhã vamos para as cataratas do Iguaçu, do lado argentino. Aguardem!

2 comentários:

Silvia

Boa noite. Acho muito interesante seus relatos de viagem. O de Buenos Aires me ajudou bastante. Obrigada.
Tenho uma dúvida quanto ao Paraguai (nunca fui, pretendo ir). Como foi passar na aduana? Se o Iphone custa mais que a cota, vc pagou os tributos. Se não, como passou... hahha
Outra coisa, vc viu KitchenAid por lá??
Obrigada.

Silvia.

Marcel Dias Pitelli

Silvia,


Tudo bem? Olhe, passamos sem dificuldades na aduana, pois estávamos todos com documentação em dia e um guia nos representando.

Pagamos os tais 7% que são cobrados normalmente. Para não pagar os tributos brasileiros, basta você se desfazer das embalagens. Leve celular no bolso, máquina fotográfica e maquiagem na bolsa. Tennis nos pés.


Kitchen AID, não sei! Nem na Monalisa eu vi. Le Creuset sim!


Bjo

Postar um comentário

Deixe seu comentário e sugestões!

Related Posts with Thumbnails

Canal Cozinha   © 2008. Template Recipes by Emporium Digital

TOP