quinta-feira, 24 de setembro de 2009

KitchenAid: uma marca, uma história, uma verdadeira revolução




O nome KitchenAid foi primeiro criado como uma marca para a batedeira desenvolvida pela Companhia Hobart em 1919. Pois foi lá pelos idos de 1900 que a empresa começou a produção de máquinas elétricas para moer carne, grão de café e amendoim.

Mas foi apenas em 1915 que uma subsidiária da companhia - a Troy Metal - desenvolveu o primeiro modelo de um misturador elétrico: feito para bater grandes quantidades, o aparelho ainda contava com ‘ação planetária’, um batedor que girava numa só direção, mas por todo o bowl.







Já popular entre os anos 20 e 30, a batedeira chegava às donas de casa através dos representantes, que iam de porta em porta demonstrando facilidades àqueles que dessem refeições a convidados. Aliás, é nesse mesmo período que começam a surgir os acessórios. Em 1924, a subsidiária Troy foi renomeada como a Companhia KitchenAid cuja matriz ficava em Daytona, Ohio

Mas a KitchenAid não se fez somente de batedeiras. Suas máquinas de lavar pratos têm origem ainda mais antiga, com Josephine Cochrane; ao que rezam as fontes, uma dona de casa que a inventou para sua própria comodidade. Mas ao perceber nela um enorme potencial para restaurantes e outros estabelecimentos, Josephine, em 1880, já despontava com a Companhia Crescente, contando com lavadoras de pratos tanto manuais quanto elétricas. Tamanha foi a repercussão, que, sua máquina foi premiada como o melhor invento na Feira Mundial de 1893.



Josephine e as patentes de seus desenhos. A inventora tem até memorial em Illinois


Cerca de 40 anos depois, a Hobart começou a explorar a idéia de uma máquina de lavar pratos residencial. As pesquisas foram interrompidas durante a segunda Grande Guerra, mas, finalmente, em 1949, a Hobart lançava a KD-10 já com a marca KitchenAid.

Em 1966, a Hobart adquiriu a Divisão de Equipamentos para Encanamentos da Corporação de Maquinário de Borracha Nacional. Nisso, em 1968 veio o dispenser de lixo e em 1971 outro para água quente e, no ano seguinte, o compactador de lixo.

Foi apenas nos anos 80 que a marca se expandiu mantendo uma mesma linha de produtos, criando os fornos e os cooktops. De modo que, em 1985, a companhia era uma das mais bem sucedidas fabricantes de aparelhos domésticos.


Entre 1985 e 1986 ocorre um desentendimento entre a Corporação Whirlpool e a Companhia Elétrica Emerson, terminando em 86 com a aquisição da KitchenAid pela Whirpool. É o ano de lançamento do refrigerador da marca.
Mas o foco da empresa ainda estava errado. Procurando solidificar sua marca, a KitchenAid se focou em negociadores de alta qualidade ao invés de atentar aos de baixo preço e grande volume. O quadro só começa a mudar quando o presidente Ken Kaminski percebe o potencial em coordenar a linha de acessórios em cores e design, dando nova tinta às cozinhas personalizadas da modernidade. Foi o ápice de vendas da marca, entre as décadas de 1980 e 1990.





                                                      


Nos anos 90 veio o comercial da marca na TV, cujo objetivo era, além de vender e muito,  trazer as famílias em suas 3 gerações de volta à mesa. Não só isso, mas também elogiava os vitoriosos soldados que regressavam da Guerra do Golfo famintos e sedentos de afeto. Tocante, não?










Hoje, como uma das marcas mais bem solidificadas no mercado, a KitchenAid caiu no gosto dos americanos enquanto que, no Brasil, para variar, ainda é um artigo de luxo, destinado a poucos, como os gourmets. Nos EUA,  a  produção se estende pelos estados de Ohio, Carolina do Sul, Indiana, Arkansas, Ontario e Quebec e é distribuída para todo o estado americano. Sorte nossa que pelo menos a batedeira ainda chega aqui na terrinha, né?












                                       No aniversário de 90 anos a KitchenAid lançou esta linha
                                       comemorativa com bowls de vidro. É óbvio que eles têm
                                      à venda caso seu bowl se quebre. Gente, são os States, né?




                                  
Sabe aquele logo na frente da sua Stand Mixer?
                                          Pois é, ele desatarracha para vários acessórios



Acessório para ralar fatiar e moer



Moedor para grãos da café na cor creme




                                                                     Scrap bowl beater














                                 O scrap bowl em funcionamento. Bate e raspa ao mesmo tempo






                    O pasta press e as variedades de massas que ele faz por extrusão











                 
                                                      O pasta press em funcionamento





Essa é a StandMixer Up Lift, muito semelhante às batedeiras industriais. Esta tem bowl de maior capacidade, que se ergue através de uma alavanca. Note o batedor também diferenciado!














E tudo isso você tem em várias opções de cores
Eitah Brasilsão baummmmm!


A batedeira, vocês encontram na Casa Santa Helena, na Spicy ou com a própria Kitchen Aid Brasil. Um absurdo, ela chega a custar R$ 1.700 em alguns lugares. O preço caiu meros R$ 300,00 desde que a Brastemp fez parceria com a marca uns 5 anos atrás. Graças a Deus que ainda tem parcelamento. Os acessórios, nas mesmas lojas.

Não recomendo o primeiro pasta press, o que está à venda no Brasil. Há incontáveis reclamações sobre ele no site da Williams Sonoma. Recomendo o que coloquei neste artigo, mais acima.

Espero que gostem e comentem! Abraços a todos


8 comentários:

Tuca Ortiz

Olá, acabei de conhecer seu blog. Gostei muito porque adoro gastronomia, apesar de saber cozinhar só o trivial. Adoro aprender.
Aproveitei prá ver se vc. tinha receita de brownie, mas só encontrei aquele com café (detesto café).
Ah e uma coisa que não gostei: essa musiquinha. Eu particularmente gosto de ler blog, mas não gosto qdo tem música. Minha opinião, tá?
Parabéns pelo blog...vou voltar mais vezes prá aprender com vc.
Bjo

Marcel Dias Pitelli

Oi, Tuca! Obrigado! Quanto à música, basta vc desligar o radinho...não tem pepino aqui no palatável...ou melhor, tem sim!

Vai uma saladinha ae? rs

Bjos!

Ligia

Marcel,
Eu estou fazendo as contas pra entrar no parcelamento de uma KitchenAid...só não consgo escolher a cor!
Parabéns pelo blog
Ligia

Marcel Dias Pitelli

Ligia,

No Brasil, vc n vai encontrar muitas opções de cores, o que é uma vergonha!!!

O consumidor brasileiro é tratado como lixo.

Vc terá que se contentar com a inox, red, black ou white.

Kátia

Oi Marcel,

Teu blog é simplesmente bárbaro!
Amei tuas receitas e a forma que vc explica tim por tim!
Pois é....eu consegui finalmente ter a minha KitchenAid branquinha comprei via Ebay uma 2ª mão semi nova profissional perfeitinha e por um preçinho incrível! Arrematei no leilão por 130 US + o frete 50 Us
e ainda de quebra ganhei um acessório que moí carne e não parou por aí,passou pela receita federal de gratis....hahahah não fui taxada! E chegou em minha casa em 15 dias!Sorte né? Fazia tempo que sonhava em ter uma, mas comprar uma aqui no Brasil só mesmo para quem tem uma bela conta bancária.
Parabéns pelo blog , já estou te seguindo e de olho sempre nas novidades!
Bjs
Kátia

Gy

Olá! Meu nome é Giany! Eu comprei a minha Kitchensaid direto dos EUA!! Chique demais né? Estou com um probleminha básico: Não consigo fazer um marshmallow descente com ela! Fica empelotado, muito estranho e ressecado no dia seguinte.
Será que você tem alguma dica para melhorar?
Brigadinho!!!!

Marcel Dias Pitelli

Gy,

O marshmallow que vc procura é à base de glicose. Ele começa com uma calda de água, açúcar e glicose (karo não serve). Despeja-se essa calda a 114°C nas claras em neve batendo em velocide máxima e se deixa batendo até o bowl amornar. No blog tem receita de marshmallow. Qualquer coisa, dá um grito!

Bjo

maria alves

Boa noite gostei do moedor de café na cor creme e gostaria de saber o preço e forma de pagamento.

Postar um comentário

Deixe seu comentário e sugestões!

Related Posts with Thumbnails

Canal Cozinha   © 2008. Template Recipes by Emporium Digital

TOP